A BARDELLA

A BARDELLA S.A. Indústrias Mecânicas é uma empresa fundada em 1911 pelo imigrante italiano Antônio Bardella. Como tantos imigrantes que chegaram ao Brasil no começo do século XX, Antônio Bardella trouxe em sua mente o sonho de uma vida melhor para si e sua família. Antonio trouxe também em seu DNA, a vocação para enfrentar desafios e esta vocação foi a motivação para fundar as Officinas Bardella. Inicialmente a fabricação era de grades para fogões, janelas e jardins. Uma importante aliada nesta empreitada era sua esposa, Dona Josefina, que além do seu tempo, já trabalhava dando aulas de corte e costura em uma escola para moças no Brás em São Paulo. Seu trabalho não parava por aí, pois em seu tempo livre ajudava Antonio Bardella criando novos designs de grades para jardim, que Antonio transformava habilidosamente em peças de ferro.  

 

A BARDELLA cresceu e logo sua história iria confundir-se com a própria história do Brasil. Em 1907, o primeiro censo industrial brasileiro apontou a existência de tão somente 3 mil empresas no país. A economia da época era pautada por usinas de açúcar, tecelagens de algodão, fundições e serrarias e a BARDELLA, focada no desenvolvimento da época iniciou suas atividades contribuindo com o fornecimento de máquinas e equipamentos para estes setores. A Primeira Guerra Mundial, que iniciou-se em 1914, impulsionou o crescimento da indústria brasileira. A necessidade de bens de consumo serem produzidos localmente, fez com que em 1920, no segundo censo industrial brasileiro, a quantidade de indústrias saltasse para 12 mil – quatro vezes mais. Antônio Bardella, desafiou-se a construir a primeira ponte rolante brasileira, entregue em 1927 para uso em suas próprias instalações industriais.

À partir da década de 30, com o Governo de Getúlio Vargas e a política de industrialização, a BARDELLA viu-se novamente desafiada a acompanhar o crescimento do país. Foram criados o Conselho Nacional do Petróleo (1938), a Companhia Siderúrgica Nacional (1941), Companhia Vale do Rio Doce (1943) e Companhia Hidrelétrica do São Francisco (1945). A BARDELLA inicia o fornecimento de pontes rolantes, máquinas e equipamentos para todos os novos setores da economia: siderurgia, metalurgia, mineração e energia.

Uma característica importante da época foi que a maioria das empresas eram apenas montadoras de equipamentos. Antônio Bardella, visionário, optou por desenvolver e adquirir tecnologia em parceria com o exterior e com o início da Segunda Guerra Mundial, sua estratégia apresentou-se como devidamente acertada. O Brasil não conseguia importar as peças e equipamentos que precisava para seu crescimento. Isso ressaltou a importância e necessidade de ter-se uma indústria nacional tecnologicamente capaz e independente no setor de bens de capital.

De 1950 até o final do século XX, houve uma diversificação enorme da indústria brasileira impulsionada por planos de governo. Foi então que a BARDELLA estabeleceu e consolidou sua posição como líder no fornecimento de equipamentos para os setores industriais de metalurgia, siderurgia, energia, mineração e portuários com tecnologia própria ou apoiada por acordos com empresas estrangeiras de renome mundial: VOITH, DRESSER, SCHULER, MITSUBISHI, SOREFAME, ALSTOM, SIEMENS, ROLLS ROYCE e GE para mencionar apenas algumas. Foi neste mesmo final de século, que a BARDELLA expandiu suas instalações para a cidade de Guarulhos (1970) tornando-se importante geradora de emprego e renda para a região. Com parceria da empresa portuguesa SOREFAME, especialista em engenharia e fabricação de equipamentos para hidrelétricas, construiu uma planta especializada na cidade de Sorocaba, interior de São Paulo. O crescimento não parou por aí. A Bardella adquiriu nesta mesma época, participação acionária na Prensas Schuler (1974), tradicional fabricante de prensas para o mercado mundial. Foi nesta época, com o crescimento brasileiro acelerado, que o Governo investiu na ampliação da oferta de energia para suprir a crescente demanda do país. Como exemplo, em 1975 foi iniciada a construção da usina hidrelétrica de Itaipú, o que possibilitou um dos maiores feitos da engenharia brasileira – a fabricação da maior ponte rolante do mundo com capacidade de 1.000 toneladas em 1980 com engenharia e fabricação BARDELLA.

Na década de 90 e início do século XXI, o país vivenciou um novo ciclo de crescimento em todos os setores econômicos: a siderurgia mundial expandia-se para atender as demandas chinesas, a mineração brasileira em plena expansão também para atender as crescentes demandas da China, petróleo e gás desenvolvendo-se ativamente, maior demanda de energia no Brasil e a energia eólica tomando impulso como fonte de baixo impacto ambiental. A BARDELLA mais uma vez tomou a dianteira e, além de atuar em todos os seus tradicionais segmentos, adentrou aos novos mercados em desenvolvimento no país. Forneceu equipamentos para praticamente todas as refinarias do país: RLAM, RPBC, REVAP, REDUC, RECAP, REPLAN, REGAP, além das principais plataformas offshore. A BARDELLA mais uma vez torna-se detentora de tecnologia que apenas os grandes players mundiais do setor possuem e ainda, adentra o mercado de eólica fornecendo peças caldeiradas para turbinas eólicas a serem instaladas no Brasil e exterior. A carteira da BARDELLA chegou aproximadamente a R$ 1 bilhão nesta época.

O século XXI trouxe grandes desafios para a indústria brasileira. Crises políticas, econômicas e sanitárias mundiais tem exigido das indústrias muito além de produtos e serviços de qualidade. O foco sai da melhora da produção para ser direcionado à economia. Indústrias tem que tomar medidas austeras e impopulares, mas que garantam a sua sobrevivência. Os Governos liberais que se sucedem, não entendem a importância da indústria nacional e órgãos governamentais que deveriam apoiar e preservar a função social das indústrias, deixam-nas à própria sorte.

 

Em meio a tantos desafios, a Bardella completa 110 anos de existência em 2021. Os desafios neste século de vida nunca foram pequenos, mas a empresa sempre contou com o mais importante para continuar: seus colaboradores. Mais que uma indústria comum, neste século de existência, a Bardella orgulha-se de ter transformado também sonhos de vida em realidade para os milhares de colaboradores que de alguma forma tiveram ou tem o prazer de vivenciar a experiência de ser um colaborador ou colaboradora Bardella. Nunca será somente uma empresa. Somos muito mais que isso. #somostodosbardella.